Inicio > Loures > André Ventura Fala De Transparência No Movimento Associativo E O Caminho Perigoso Da CDU Em Loures

André Ventura Fala De Transparência No Movimento Associativo E O Caminho Perigoso Da CDU Em Loures

O debate sobre a Transparência no Movimento Associativo na reunião de Câmara de Loures, com a possível incompatibilidade ética e jurídica entre os dirigentes Associativos e os dirigentes Municipais e respetivos Assessores que são parte na decisão, levantada por André Ventura, foi o ponto de partida para esta conversa, gravada em 14 de Junho, com André Ventura, Vereador do PSD, sem pelouro, na Câmara Municipal.

Nesta conversa onde ainda se falou do que André Ventura considera o “caminho perigoso” que a CDU persegue, da falta de qualidade jurídica dos documentos que chegam à Câmara, das Eleições antecipadas que “Ninguém” quer, do PCP/CDU que perdeu na Assembleia Municipal e é minoria na Câmara Municipal e do próximo Orçamento em que PSD e PS vão bater-se pela descida dos impostos.

Citando André Ventura:
– O PSD é completamente favorável ao apoio ao movimento associativo, à integração do movimento associativo, à sua dinamização, porque reconhece a sua utilidade na sociedade civil – outra coisa muito diferente é a transparência.
– Tenho dúvidas éticas e jurídicas de que uma Associação possa receber dinheiro de uma instituição pública como é uma Câmara Municipal ou junta de Freguesia em que, na direção da Câmara ou como colaboradores políticos ou assessores políticos da Câmara estejam esses mesmos que depois vão receber nas Associações esse dinheiro. É como se o dinheiro tivesse a mesma cara nos dois sítios.
– Eu penso que na rua ninguém vai compreender isto.
– Eu ouvi um Vereador substituto da CDU dizer que isto era uma coisa jurídico-pequenina… Nós estamos a falar do dinheiro das pessoas. Vá ai à rua e diga às pessoas quem está a receber dinheiro nesta Associação é também dirigente da Câmara ou assessor político da Câmara e vai ver o que as pessoas lhe dizem.
– No dia em que as pessoas souberem o que é que está em causa em Loures, mas não só algumas pessoas, são todas as pessoas, souberem o que está em causa em Loures não tenha dúvida que nós vamos ter a maior base de apoio que alguma vez tivemos, maior que em 2017.
– Quando as pessoas souberem que o que está em causa é o dinheiro dos impostos que pagam numa Câmara Municipal que se recusa a descer o IRS, que se recusa a fazer descidas que nós propusemos no IMI, que se recusa descer taxas e taxinhas como a Derrama, por exemplo, como nós propusemos também, quando as pessoas souberem o que está em causa aqui, não tenha dúvidas, quem vai ser corrido à vassourada é a CDU da Câmara Municipal.

– O que pode levar à destruição da CDU em Loures, é esta atitude que as pessoas não compreendem, esta atitude de arrogância da CDU que não percebeu que desceu a votação em termos percentuais, não percebeu a mensagem que os eleitores lhe quiseram dar e mesmo assim entende que pode fazer o que entender – Não dar pareceres, não cumprir deliberações da Assembleia Municipal. Acha que tem uma maioria absoluta. Perdeu na Assembleia Municipal, na Câmara desceu percentualmente e continua a agir como se tivesse maioria absoluta.

– Loures é o último bastião que eles têm e ao olharem para o que se passa em Loures não percebem que se continuarem por este caminho o grande trunfo que tinham, que era o Dr. Bernardino Soares não têm mais nenhum, está-se a perder completamente com essas atitudes.
– Se a CDU continuar nesta atitude de não a tudo, linhas vermelhas a tudo e ignorar as bancadas dos Vereadores e remeter todos à insignificância, eu acho que caminhamos para uma solução política muito difícil que nós não desejávamos mas que enfim teremos de enfrentar.

(Ainda sobre o Movimento Associativo e as incompatibilidades)
– Todas as cores, todos os partidos, têm aqui responsabilidades porque isto já devia de ter sido feito há muito tempo.

A falta de qualidade jurídica dos documentos que chegam à Câmara
.
– Chegam-nos documentos de apoios que nós olhamos e perguntamos – O que é isto?
– Temos de começar a ter um bocadinho de respeito pelas pessoas que nos pagam a logística, os salários, as instituições, o dinheiro público.
– Não é contra os ciganos que as pessoas estão nem contra outras minorias, é contra o desbarato do dinheiro público sem critério – É isso que na verdade choca as pessoas.

Ninguém gostava de ver eleições em Loures.
– Ninguém quer mas, não pode ser a CDU a achar que como ninguém quer, faz o que entender.
– Nós, PSD e PS juntos, representamos muito mais do que a CDU e portanto quando não se ganha com a maioria absoluta tem de se ter a humildade e o bom senso de negociar.
– O PSD não deseja Eleições em Loures, pelo contrário, o PSD deseja que isto vá com estabilidade até ao fim do mandato. – Mas também queremos deixar à CDU uma mensagem muito clara – Nós não temos medo de Eleições. Acreditem que o PSD está aqui para a luta e acreditem que vai dar tanta ou mais luta do que em 2017.
– O que nós queremos é negociar, chegar a soluções para apresentar às pessoas.
– Eu não sei o que a CDU pensa fazer mas se este é o caminho que querem, acho que é um caminho muito perigoso, não só para eles como para o Município de Loures.
– Se forem marcadas Eleições antecipadas vai haver um momento de campanha, pré-campanha e campanha e, as pessoas, vão saber o que é que esteve em causa e vão ser chamados à responsabilidade aqueles que estavam no exercício de funções. – Ainda pensam que vão ter maioria absoluta se a Câmara não chegar ao fim do mandato? – Só podem estar a brincar.

O Orçamento e as Consequências.

– Uma coisa é governar, outra é autenticamente ser autoritário na forma de governar e isto é o que a CDU tem feito até agora.