Segunda-feira, Novembro 19, 2018
Inicio > Odivelas > A Opacidade Da Câmara Municipal De Odivelas Segundo David Castro Do PSD

A Opacidade Da Câmara Municipal De Odivelas Segundo David Castro Do PSD

Após uma sua intervenção na reunião da Câmara Municipal de Odivelas (CMO) sobre este tema da Transparência, apresentando o relatório da “Associação Cívica Transparência E Integridade” e avançando com outros casos concretos da coisa pública local, fazia todo o sentido ouvirmos David Castro da JSD/PSD.

Citando David Castro ao longo da entrevista:
Índice de Transparência essencial para garantir o bm funcionamento da Democracia.
Odivelas baixou no índice de 106 em 2013 para hoje o lugar 267. Até hoje Odivelas caiu mais de 100 lugares neste índice de 308 Municípios.
Na Contratação Pública a evolução foi 100% negativa.
Porquê tanta opacidade na C.M. de Odivelas?
Há Documentos alterados na Plataforma Municipal mas mantendo a data inicial ou seja aprovar com o risco de não saber que as aprovámos.
A ausência de respostas pelo executivo há mais de um mês.
A possibilidade de o PSD colocar estas questões de não-resposta ao Ministério Público.

Os Odivelenses não se estão a preocupar o suficiente com a forma como a C.M. de Odivelas está a ser gerida pelo PS.

O Cartão Jovem Municipal (CJM)  
O CJM apresenta supostamente uma série de descontos associados a esse carão junto de empresas aderentes.
Dos 113 aderentes que a CMO afirmou alguns já encerraram e outros nem sequer têm conhecimento que faziam parte deste protocolo do cartão jovem.
O número de aderentes tem vindo a baixar. Um jovem que solicitou o cartão Jovem passados 3 meses ainda não o recebeu.

Tudo o que tem que ver com transparência e integridade da CMO tem muito que se lhe diga. Se o Presidente da CMO se dá ao desplante e ao luxo de dizer em reunião de Câmara a um Vereador de que não conhecia nenhum relatório nem nenhum índice de transparência municipal quando sabemos que as Câmaras Municipais são contactadas por esta Associação…
É preciso mais alguma coisa? – Porque eu tenho.

A federaçao taekwondo deu uma entrevista na incubadora de empresas da CMO (StartIn) e não encontrei nenhum PAMO com referência à federaçao taekwondo aparentemente já sediada há muito tempo na StartIn, há mais tempo que o atual mandato. No site da Confederação de Federações de Desporto Portuguesas, a federaçao taekwondo tem sede na StartIn da CMO e a pergunta que se coloca é: Que tipo de apoio a CMO dá a uma Federação que desde Janeiro aparentemente não tem pago uma serie de rendas que deveria pagar e ao mesmo tempo está a ser investigada, segundo a Comunicação Social, por alegados processos de gestão danosa?
Se isto é ser transparente e integro, então o que é que é não ser? Ou voltámos aos tempos de 2005 a 2009?

A atitude da CMO provoca uma grande diferença na forma como o próprio índice pode ser avaliado.
O Conselho Municipal da Juventude tem mais de 1 ano de atraso na publicação das atas.
O ponto critico prende-se com a forma como a CMO fornece a informação e a forma como a CMO disponibiliza o acesso À mesma. Se nós temos incompetência na forma como são executados as coisas como nesta questão do Cartão Municipal (a fiscalização política) os responsáveis políticos não se estão a preocupar com os serviços que deviam garantir ou fornecer a informação que deveriam fornecer.
O facto de não existir transparência ou o índice de avaliação ser baixo não significa que nós achemos que existe matéria ilegal.

A Juventude do séc XXI, os Órgãos Públicos do séc XXI, a forma de fazer política do séc XXI, não se coaduna com opacidade, esconder a informação, tentar ocultar aquilo que é a atividade executiva da Câmara Municipal de Odivelas.